Espro

ver outras histórias

Em Maio de 2012, esta foi a história de
Jobson, com o Espro

Mande sua história
Uma decisão que mudou minha vida

Uma decisão que mudou minha vida

No inicio de 2012, ainda trabalhava em uma pequena distribuidora de produtos alimentícios, e como ficava na frente da loja para supervisionar, além disso separava as notas de pedidos externos, placas, atendimento a clientes e possíveis funcionários, porém não tinha registro e outros benefícios oferecidos a funcionários com CLT.

Por ficar frente a loja sempre avistava os jovens do Espro passando, e me chama atenção o fato de estarem uniformizados e sempre contentes. Busquei mais informações por que até onde sabia o Espro só aceitava jovens menores. Uma amiga fazia na época, recorri a ela, que por sua vez me trouxe tudo que precisava saber.

Fui até lá fazer a inscrição e logo após a entrevista e passei, deveria escolher, seguir onde estava com estabilidade de trabalho porém sem nenhuma meta ou crescimento futuro ou ficar sem trabalhar por dois meses e conseguir entrar em uma empresa posteriormente. Optei pelo Espro.

Era muito difícil ficar sem trabalhar ainda mais pela idade, na época tinha 21 anos, no entanto o que aprendia lá a cada dia me dava mais vontade de continuar e buscar esse objetivo. Mas devido a cobranças familiares e condições financeiras comecei a ficar temeroso e estava decidido a sair do curso de formação. Aí entrou em ação o papel de instrutor e educador da Sônia Lima, que conversou comigo e meu deu o conselho que mudou minha vida profissional, que foi: não posso impedir que vá, só que de nada adiantou ter começado e não ir até o fim.

As palavras dela me fizeram voltar no tempo e ver que nunca havia terminado um projeto, sempre fugia ou corria. Decidi ficar e em menos de uma semana apareceu uma oportunidade para trabalhar aqui no Espro, sem titubear aceitei e compareci mesmo com apenas um mês de curso.

A entrevista foi complicada e a concorrente era ótima, apesar de gostar da minha apresentação não estava esperando ser chamado. Após dois dias o telefone toca e ao ouvir a voz do Alberto Pereira dizendo que havia passado não consegui me conter e um misto de alegria, emoção e satisfação. Comecei na Educação Profissional e como supervisor direto aprendi e modifiquei minha mente com o Ronaldo Henrique. No final do ano de 2012 fui remanejado para o antigo CRE hoje CA, onde permaneço até o momento. Sob a direção da Juliana Santos, Daniele Veiga e Naide Santos o meu nível profissional que envolve as competências essenciais do Espro estão sendo fortificadas a cada dia, hoje posso dizer que devo tudo ao Espro e pelo que vivi aqui. Tenho a independência financeira e consegui morar só algo que jamais imaginaria aos 23 anos. Tenho uma direção a seguir graças as mãos dos profissionais que trabalharam ou trabalham aqui, eles fazem parte de mim, do Espro e dessa história que com prazer vos conto.



Comente esta história

tem uma história bacana? clique aqui e conte para nós, ela será exibida na nossa timeline.